Saiba Mais

Abstrato VermelhoTradicional lembrança de casamento, nos últimos anos, o bem-casado também invadiu as maternidades de São Paulo “camuflado” de bem-nascido. Docinho dos tempos de criança, o brigadeiro virou um grande negócio com embalagens e sabores especiais. Recentemente, os coloridos cupcakes começaram a se espalhar pela cidade. Na cosmopolita São Paulo, um docinho é mais que um simples docinho: é o detalhe capaz de revelar o estilo de um anfitrião, que conquista seus convidados com criatividade… e doçura. Neste cenário, a JULI M aponta a próxima tendência para reuniões e festas: fudge – tentadores e deliciosos quadradinhos de chocolate macio.

Versátil, o fudge (pronuncia-se fûdji) pode ser servido, por exemplo, como sobremesa ou acompanhamento para o café ou ainda distribuído como lembrancinha de casamento, nascimento, open house, festa de aniversário, chá de bebê ou panela, entre outras comemorações que podem – e devem – ser marcadas como doces momentos. Na  JULI M, os clientes que encomendam o doce para lembrança podem personalizar a etiqueta do fudge, escolher o tecido favorito ou colocá-lo em uma caixa à escolha. Além da versão original, a empresa já desenvolve novos sabores, oferecendo também as versões chocolate amargo; branco com pistache e baleys, e ao leite com laranja.

“O fudge é uma invenção exclusivamente americana, que surgiu quando um confeiteiro de Baltimore acidentalmente misturou caramelo com um chocolate macio”, conta Juliana Davi, dona da JULI M. Acreditava-se que esse doce era uma criação da Grã Bretanha porque existem algumas variações de fudgena região central e na Escócia conhecido como Vanilla Fudge, pois não é feito com chocolate. O curioso é que foi na Austrália, onde morou em 1994, que Juliana descobriu a base da receita de seus quadradinhos de chocolate macio. Nessa época, a confeiteira nem imaginava que um dia criaria uma empresa capaz de revelar uma tendência para celebrações especiais… 

O início da  JULI M

Adoro juntar amigos e, para isso, sempre uso como desculpa que preciso de cobaias para testar uma nova receita.  Acho que herdei da minha mãe este gosto por receber amigos. Ela sempre fez almoços históricos em casa e eu sempre estava lá ajudando. E foi numa festa para lá de especial que Juliana resgatou sua receita de fudge. Depois de anos juntos, eu finalmente pude preparar uma festa para o meu marido, já que ele sempre foi avesso a festas. O único pedido dele era que eu não servisse bolo. Pedido aceito, eu teria que servir um doce que marcasse aquele evento e escolheu o fudge de chocolate. Foi realmente inesquecível! Todos que se lembram daquela festa, se lembram do fudge.

Desde de então, o doce é atração obrigatória dos eventos de Juliana e amigos.  No nascimento de seu filho, o fudge virou presente. As melhores lembrancinhas, na minha opinião, são as de comer. Para o visitante, você dá algo gostoso que vai ficar para sempre na memória dele. Para os pais, é fácil de levar para a maternidade e que, se por acaso sobrar, você pode comer, sem ter que arrumar espaço para guardar. Com o sucesso entre familiares e amigos, parti para o próprio negócio: a JULI M, que já vem mostrando que a cosmopolita cidade de São Paulo também pode ser a terra do fudge.

(Texto Alexandre Moreno)

%d blogueiros gostam disto: