Tag Archives: enfeite de chocolate

Das coincidências da vida

11 out

A Lígia e eu começamos a nossa troca de mensagens assim:

“Olá, bom dia!
Gostaria de fazer um orçamento com vcs. Adorei o site e também a proposta apresentada.
Seria para o aniversário de 1 ano do meu filho que será no dia 02/10, que será comemorado no dia 05/10.”

Meu filho também nasceu no dia 02 e a festa seria no da 05. Coincidência número 1. Mas se era o primeiro aniversário do Davi, do Fernando já era o quarto.
Orçamento enviado, agora faltava eu entregar as amostras. “Não há loja, mas posso te mandar uma amostra. Você está em SP? Se desejar uma amostra, por favor, me passe o seu endereço.”

Onde ela mora? Na mesma rua que eu. Coincidência número 2.

Arte combinada, fudges prontos, hora de combinar a entrega. Ela me ligou e também achou curioso morarmos na mesma rua. Conversa vai, conversa vem, a Lígia me contou que visitou um apartamento à venda aqui no prédio onde moro. Coincidência número 3.

Será que seremos vizinhas e um dia disputaremos o salão? 😉

Imagemn

Anúncios

Foi tudo muito rápido

24 set

A Débora entrou em contato comigo via blog. Trocamos mensagens, ela me contou que era um casamento civil. Entreguei as amostras e ela me disse que entrava em contato. Pluf! Sumiu.

O casamento era no dia 21 de setembro e as amostras foram entregues no dia 02 do mesmo mês. Imaginei várias coisas, do tipo “será que fui grossa?”, “será que ela não gostou?”, “será…?”

Mas no dia 16 ela entrou em contato comigo, queria encomendar. Uau, será que daria tempo? A sorte é que conto com um serviço de gráfica muito eficiente (Haz Gráfica), que nos ajudou na montagem das etiquetas. Deu tudo certo. Eles disseram sim, e os fudges, mais uma vez,fizeram parte desta união. Que sejam felizes para sempre.

Image

14.09.2013 O dia das bodas de amor

18 set

Se festas de casamento tivessem tema, o desta com certeza seria ‘Expandir Amor’.  A Melissa, a Ana, o Marcus, os amigos da Ana e do Marcus, a Magda, o Miguel, os amigos da Magda e do Miguel, todos fazem parte desta história.

A Melissa, amiga em comum da Juliana e da Ana, presenteou a noiva com fudges. Eu fiquei curiosa, queria saber um pouco sobre o casal para poder sugerir uma tag que tivesse a cara deles. A Melissa contou um pouco sobre os dois e, no fim, me disse assim: “Só sei que ela tá muito feliz (e eu feliz por eles ) e toda vez que a gente conversa sobre essa história dela eu me arrepio (de verdade!)”. A noiva-DYI-linda-superastral pegou a ideia de tags e a personalizou. Escreveu frases com dicas para um bom relacionamento.

P1100042

Corte rápido.

Dia 14 de setembro de dois mil e treze foi o dia das bodas de ouro dos pais do meu marido (Magda e Miguel).  Corta de volta para os fudges, agora devidamente personalizados. As duas histórias se juntam justamente por causa da lembrancinha com as tags.  Aproveitei as tags que a Ana fez para o casório dela com o Marcus e as usei no dia do almoço das bodas de ouro. A noiva-bodas-de-ouro, já lá no fim da festa, pega um fudge e lê a etiqueta.

“Juliana, eu peguei este fudge ‘Nunca dormir brigado’. Você não sabe, eu sempre fiz questão de fazer as pazes antes de deitar.” – me disse a noiva-bodas-de-ouro.

“É mesmo? E foi o primeiro que você pegou? Você não olhou as etiquetinhas?”  – perguntei surpresa.

“Foi, eu nem sabia o que estava escrito.” – ela me respondeu, super feliz.

Na segunda-feira, conversei com a Ana e contei a história das bodas da sogrita e da etiqueta que ela pegou. E não é que foi justamente a frase ‘Nunca dormir brigado’ que deixou o Marcus intrigado? A noiva-recém-casada explicou pra ele que esta é uma ótima atitude para o bom relacionamento do casal.

Bem, no fim das contas, ou cinquenta anos depois, acho que é mesmo.

 

bodas

5 anos da Luana e uma ‘fudgeconfusão’

4 ago

A mãe da Luana, a Mari, é minha amiga, ela inclusive que desenvolveu o folder da Juli M, você que já recebeu os fudges, já viu o folder.  Antes do nascimento, ela deu uma sondada para saber se seria possível fazer fudges para o início de agosto. Eu, super otimista, disse que sim.

A Mari acompanhou a minha gravidez pelas redes sociais e, depois, as primeiras semanas do bebê.  O tempo passou, o Rodrigo nasceu e ela ficou só observando os meus posts no FB. Até que, na semana passada, recebi uma mensagem dela, assim:

“Em primeiro lugar: Parabéns pelo Rodrigo!!! Ele e o Fefê estão uns fofos! Dá até vontade de ter mais um… Outra coisa, é que quero saber se você está aceitando encomenda de fudges? Nem ia perguntar, mas como estou vendo a sua disposição em cozinhar e até pintando a unha (!!!), estou indo contra todas as regras da boa educação! Kkkkkkkkk”

E ela não precisou falar duas vezes, com certeza os fudges da festa da Luana estavam garantidos. Tudo certo, decidimos o sabor, a cor do papel, ela me enviou a imagem e fez a encomenda.

P1090789

Mas, cometi um pequeno deslize (para mim uma enorme tragédia). Fiz uma conta totalmente errada e embalei menos do que o encomendado.  Ainda bem que ela é amiga e sabia da minha condição “mãe de bebê”. Contei com a ajuda do maridão de plantão para levar as 20 unidades que faltavam antes da festa começar.

Parabéns, Luana! Da próxima vez, prometo fazer as contas direito.

João, filho da Fernanda e do Eduardo

25 jul

P1090642A Fernanda chegou inspirada. Sabia bem o que queria: a mensagem da etiqueta, tinha uma ideia para a imagem e a escolha dos tecidos foi bem rápida. Os fudges eram para o chá de fraldas e para a maternidade, para cada ocasião embrulhados de um jeito. O do chá de fraldas apenas embalado em papel alumínio e com etiqueta personalizada. Para a maternidade, tecido com dois fudges por trouxinha e tag personalizada. A única coisa sobre a qual ela ainda estava em dúvida era a quantidade. Queria encomendar 150 fudges de lembrancinha de maternidade. Uau! Calma, calma. Expliquei que achava muito e que talvez umas 60 unidades seriam o suficiente. Fechamos em 70 para a maternidade.

E o combinado é sempre este:
Me passe o contato de duas pessoas que vão estar no quarto para receber. Eu geralmente entro no estacionamento e só entrego, não vou até o quarto. Quando é parto normal, o procedimento é, assim que nascer, você pedir para alguém me ligar avisando e eu já me encarrego de fazer o pedido.

No dia 20/07, o Eduardo me ligou.

‘Alô, Juli?’
E eu já fui me adiantando.
‘É o marido da Fernanda, né? Acho que já posso te dar os parabéns.’
‘É, o João nasceu.’ Com aquela voz que a gente consegue “ver” o sorriso estampado no rosto, sabe?

Bem-vindo, João! É sempre emocionante fazer parte destas histórias.