Tag Archives: lembrancinha personalizada

Dia dos Professores

15 out

IMG_20141014_224636

Hoje foi um dia especial. Para mim, que também sou professora, e meu filho, que já frequenta a escola e tem professores. Dia destes inclusive ele me perguntava qual o nome das minhas professoras. Ele ainda não sabe que terá tantos na vida que será difícil lembrar o nome de todos. Parabéns aos professores de todas as áreas!

Anúncios

Vai…e se der medo, vai com medo mesmo!

30 out

A Paula me descobriu por indicação de uma amiga. Precisava de algo para uma data especial. Pensava em pães de mel. Elisa, a amiga, contou pra ela sobre os fudges, mas ela nunca tinha experimentado. Sem problemas, afinal eu sempre mando uma amostra, e assim foi com a Paula também. Só que as amostras foram via Elisa, e eu nem precisei me preocupar com a entrega. Resultado: fudges provados, aprovados, orçados e encomendados.

O filho dela fez a primeira comunhão e os fudges personalizados foram entregues aos convidados no dia da missa.Combinei a entrega no dia 25, um dia antes da missa.Peguei o endereço e coloquei no mapa.

Hahaha, só rindo pra não chorar. Morumbi! Eu, que já sou uma pessoa perdida em locais conhecidos, nada sei do Morumbi.

Olha o endereço aqui, navega no Facebook lá, de repente, esta imagem:

Imagem

E lá fui eu, mapa na mão e rádio ligado. Coloquei o Rodrigo (meu filhote de três meses) no carro e fui para o Morumbi. As ruas parecem não ter nomes, e não tem recuo para você dar uma conferida. Mas fui, cheguei e entreguei. E a Paula, quando me viu, me disse “nossa, como você é bonita, parece com os fudges.”

Foi um dia com medo, mas sensacional para alguém que ainda está dormindo aos pouquinhos, de mamada em mamada! E ainda foi a primeira vez dos fudges como lembrancinha de primeira comunhão.

Primeira Comunhão

14.09.2013 O dia das bodas de amor

18 set

Se festas de casamento tivessem tema, o desta com certeza seria ‘Expandir Amor’.  A Melissa, a Ana, o Marcus, os amigos da Ana e do Marcus, a Magda, o Miguel, os amigos da Magda e do Miguel, todos fazem parte desta história.

A Melissa, amiga em comum da Juliana e da Ana, presenteou a noiva com fudges. Eu fiquei curiosa, queria saber um pouco sobre o casal para poder sugerir uma tag que tivesse a cara deles. A Melissa contou um pouco sobre os dois e, no fim, me disse assim: “Só sei que ela tá muito feliz (e eu feliz por eles ) e toda vez que a gente conversa sobre essa história dela eu me arrepio (de verdade!)”. A noiva-DYI-linda-superastral pegou a ideia de tags e a personalizou. Escreveu frases com dicas para um bom relacionamento.

P1100042

Corte rápido.

Dia 14 de setembro de dois mil e treze foi o dia das bodas de ouro dos pais do meu marido (Magda e Miguel).  Corta de volta para os fudges, agora devidamente personalizados. As duas histórias se juntam justamente por causa da lembrancinha com as tags.  Aproveitei as tags que a Ana fez para o casório dela com o Marcus e as usei no dia do almoço das bodas de ouro. A noiva-bodas-de-ouro, já lá no fim da festa, pega um fudge e lê a etiqueta.

“Juliana, eu peguei este fudge ‘Nunca dormir brigado’. Você não sabe, eu sempre fiz questão de fazer as pazes antes de deitar.” – me disse a noiva-bodas-de-ouro.

“É mesmo? E foi o primeiro que você pegou? Você não olhou as etiquetinhas?”  – perguntei surpresa.

“Foi, eu nem sabia o que estava escrito.” – ela me respondeu, super feliz.

Na segunda-feira, conversei com a Ana e contei a história das bodas da sogrita e da etiqueta que ela pegou. E não é que foi justamente a frase ‘Nunca dormir brigado’ que deixou o Marcus intrigado? A noiva-recém-casada explicou pra ele que esta é uma ótima atitude para o bom relacionamento do casal.

Bem, no fim das contas, ou cinquenta anos depois, acho que é mesmo.

 

bodas

5 anos da Luana e uma ‘fudgeconfusão’

4 ago

A mãe da Luana, a Mari, é minha amiga, ela inclusive que desenvolveu o folder da Juli M, você que já recebeu os fudges, já viu o folder.  Antes do nascimento, ela deu uma sondada para saber se seria possível fazer fudges para o início de agosto. Eu, super otimista, disse que sim.

A Mari acompanhou a minha gravidez pelas redes sociais e, depois, as primeiras semanas do bebê.  O tempo passou, o Rodrigo nasceu e ela ficou só observando os meus posts no FB. Até que, na semana passada, recebi uma mensagem dela, assim:

“Em primeiro lugar: Parabéns pelo Rodrigo!!! Ele e o Fefê estão uns fofos! Dá até vontade de ter mais um… Outra coisa, é que quero saber se você está aceitando encomenda de fudges? Nem ia perguntar, mas como estou vendo a sua disposição em cozinhar e até pintando a unha (!!!), estou indo contra todas as regras da boa educação! Kkkkkkkkk”

E ela não precisou falar duas vezes, com certeza os fudges da festa da Luana estavam garantidos. Tudo certo, decidimos o sabor, a cor do papel, ela me enviou a imagem e fez a encomenda.

P1090789

Mas, cometi um pequeno deslize (para mim uma enorme tragédia). Fiz uma conta totalmente errada e embalei menos do que o encomendado.  Ainda bem que ela é amiga e sabia da minha condição “mãe de bebê”. Contei com a ajuda do maridão de plantão para levar as 20 unidades que faltavam antes da festa começar.

Parabéns, Luana! Da próxima vez, prometo fazer as contas direito.

Fernanda + Ricardo = Théo

28 jun

Sempre me lembro da Fernanda com aquele sorrisão estampado no rosto. Ela ainda era uma adolescente,  aluna da escola de inglês (não sei se já falei aqui, mas sou professora de inglês). Depois, parei de dar aulas naquela escola e nunca mais a vi. Anos mais tarde, nos reencontramos, eu era professora particular na empresa em que ela estagiava. Aquele mesmo sorriso estava lá. E mais uma vez, nos distanciamos.

Não fosse pelas redes sociais, talvez eu nem soubesse que aquela adolescente (10 anos mais jovem que a ‘teacher’) e eu teríamos filho na mesma época, com apenas 1 ou 2 semanas de diferença. Mas não foi o que aconteceu. No dia 24 de abril, o Théo nasceu! Chegou antes!

Na entrega dos fudges, conheci o Ricardo, o pai. E, adivinhem? Outra pessoa com um sorriso lindo estampado no rosto.

Recentemente, falei com a Fernanda e perguntei sobre o Théo, o apressadinho.

“Ele é um super guerreiro!! Decidiu que queria nascer e nasceu. Depois decidiu que queria viver e viveu. Agora, já já ele decide que quer vir pra casa e virá.”

E será sorridente e feliz como os pais, tenho certeza.

Emocionante poder participar de histórias como esta. Obrigada!
Imagem